Notícias

Encontro do Fórum das Entidades e Prefeitura de Lajeado debate criação de camelódromo

21/09/2020
Desenvolvimento

Tema amplamente debatido nos últimos anos, o comércio ambulante voltou à pauta nesta segunda-feira (21) durante reunião do Fórum das Entidades com membros do governo municipal na Prefeitura de Lajeado. Os dirigentes das principais instituições representativas da cidade expuseram seus argumentos que justificam a posição contrária à criação de um camelódromo que concentraria a atividade em um único local, ideia que ganhou força há alguns dias quando o Executivo propôs quatro possíveis pontos nos bairros Centro e Conservas. Com a presença dos secretários de Desenvolvimento Econômico, André Bucker; Planejamento e Urbanismo, Giancarlo Bervian; e de Segurança Pública, Paulo Roberto Locatelli; o prefeito Marcelo Caumo garantiu: “Não vamos insistir no camelódromo”.

Presidente do Sindilojas Vale do Taquari, Francisco Weimer afirmou que uma das maiores preocupações do sindicato é quanto à segurança da população e ressaltou que, para a entidade, deslocar os ambulantes para um único local não é a melhor alternativa. Da mesma forma, o vice-presidente de Serviço da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Lajeado, Nilton Colombo, destacou que a CDL não apoia a ideia por não ver a necessidade de um camelódromo, visto que se tratam de produtos disponíveis no mercado, e por considerar que esta seria uma forma de liberar o trabalho à margem da lei. Para ele, isso causa desconforto e pune os empresários que pagam seus impostos e geram emprego e renda na cidade. “Não são ambulantes, são comerciantes estabelecidos em locais fixos. São sempre os mesmos nos mesmos lugares vendendo as mesmas coisas. Eles poderiam se estabelecer em uma loja, da forma como todos nós fazemos”, considerou o dirigente, que ainda questionou os demais: “É esta Lajeado que nós queremos?”

Transversais

Bervian lembrou que, conforme decreto municipal, os ambulantes estão autorizados a exercerem suas atividades nas ruas transversais à Julio de Castilhos, desde que respeitados os cinco metros de distância das esquinas, e que essa teria sido uma alternativa temporária, porém até o momento autorizada por lei. A permissão foi questionada pelos presentes, pois, de acordo com Colombo, contraria o Código de Posturas da cidade, o qual proíbe o uso de calçadas para ações que prejudiquem a circulação de pessoas: “Se tem um decreto que permite isso, ele precisa ser revisto, porque está em contradição”.

Comissão

O Prefeito destacou que a situação dos ambulantes já vem sendo debatida entre o governo e o Fórum desde 2017 e que, na sua avaliação, apesar de ainda não ser o cenário atual, há uma grande melhoria, principalmente na Júlio de Castilhos. Segundo ele, há uma série de questões, inclusive técnicas e estratégicas, que precisam ser consideradas e por isso ele propôs a criação de uma comissão que poderá se debruçar novamente no tema para discutir as alternativas e encontrar soluções, especialmente revendo o regramento do decreto em vigor.
A partir disso, ficou determinado que, além dos quatros membros do governo municipal presentes na reunião, o grupo contará com a participação de Nilton Colombo, da CDL Lajeado; Giraldo Sandri, do Sindilojas VT; Marco Daniel Rockenbach, do Sindicomerciários; e Rômulo Vier, da Acil; bem como representantes dos órgãos de segurança. O primeiro encontro está agendado para a próxima quarta-feira (23), às 8h30min, na prefeitura.

O Fórum

Integram o Fórum as seguintes entidades:
•    Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil);
•    Associação Lajeadense Pró-Segurança Pública (Alsepro);
•    Associação das Empresas de Serviços Contábeis, Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas do Vale do Taquari (Aescon VT);
•    Câmara de Dirigentes Lojistas de Lajeado (CDL Lajeado);
•    Câmara de Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC VT);
•    Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA);
•    Junior Chamber International Lajeado (JCI Lajeado);
•    Núcleo de Arquitetos da ACIL;
•    Observatório Social de Lajeado (OS Lajeado);
•    Ordem dos Advogados do Brasil (OAB Lajeado);
•    Sindicato do Comércio Varejista do Vale do Taquari (Sindilojas VT);
•    Sindicato dos Contadores e Técnicos em Contabilidade do Vale do Taquari (Sincovat);
•    Sindicato da Indústria da Construção Civil e Similares do Vale do Taquari (Sinduscom VT)
•    Sociedade dos Arquitetos e Engenheiros do Vale do Taquari (Seavat).

 

Crédito da matéria: Simone Rockenbach Comunicação Empresarial

Assine a newsletter