Notícias

Senadora Ana Amélia diz que Reforma Previdenciária é prioridade

17/12/2018
Eventos

Lajeado – “A prioridade no governo federal é a Reforma Previdenciária. Não é a previdência do assalariado que dá o rombo; é quem recebe salário integral, quando sai de uma aposentaria precoce em vários setores da área pública.” A afirmação foi feita pela senadora Ana Amélia Lemos que palestrou na reunião-almoço (RA) desta segunda-feira (17.12) promovida pela Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil). A exposição, intitulada “Cenário político e econômico: desafios e perspectivas”, teve a presença de mais de 100 lideranças empresariais, comunitárias e políticas.

No evento, a palestrante falou sobre o atual cenário pós-eleições, os principais desafios do novo governo e dos novos legisladores, as reformas necessárias e a importância do combate à corrupção.

Balanço
Ana Amélia é autora de cinco leis e uma Emeda Constitucional em vigor. Apresentou 114 projetos, além de ter relatado mais de 480 propostas. Promoveu e propôs diversas ações importantes como audiências públicas nas comissões para debater temas como ações de prevenção e tratamento do câncer, além de vários debates regionalizados em diversos estados do país nos anos que presidiu a Comissão da Agricultura (2015 e 2016).

A senadora também lembrou que abriu mão do 14º e 15º salários, auxílios mudança e moradia e dispensou o uso do apartamento funcional durante o mandato. “Economizei 70% da verba indenizatória destinada ao gabinete, além de ter um dos menores números de servidores entre todos os senadores, cerca de um terço do número permitido. A economia, apenas em relação a cota parlamentar, será de cerca de R$ 2,5 milhões nos oito anos do mandato. No número de assessores, a economia neste período irá totalizar mais de R$ 8 milhões.”

Experiência
Ana Amélia mencionou a diferença da liderança atual com 10 anos atrás. Citou as greves atuais no Brasil e na França em que os líderes não possuem identificação. A senadora contou que aprendeu em cinco campanhas eleitorais mais do que em toda a vida. “Aprendi mais em oito anos no Senado do que em quarenta anos no jornalismo. Essa rica experiência na atividade política me fez entender, na prática, a relevância do Parlamento na democracia.”

Ela explicou que partido político é como família. “Existe consenso dentro de uma família? Não existe. Partido é exatamente uma família desunida. No partido, você também tem que engolir sapo e deve andar para frente sem olhar no retrovisor. Em uma campanha, você recebe bola nas costas, traição e uma série de coisas nas quais sofre muito. Você tem que entender a natureza das pessoas. A política é a arte de acomodar divergências, tolerância e convivência. Se não tiver essa capacidade, saia da política. Isso se aplica aos negócios também”, aconselhou.

Campanha presidencial
Concorrendo como vice de Geraldo Alckmin, na eleição presidencial deste ano, Ana Amélia relatou um pouco da experiência. “Concorri acreditando no que podia fazer naquele momento para ajudar uma causa maior que é o nosso Brasil.”

A escolha para concorrer ao lado de Alckmin se deu por perceber que era o candidato mais preparado para o momento. Vendo o país dividido entre Esquerda e Direita, acreditou que o Centro era mais conveniente, juntamente com a maturidade e equilíbrio do líder político que governou o estado de São Paulo. “Eu não vi e ninguém viu que, mesmo tendo aliança com vários partidos, cada partido foi para um lado por questões de sobrevivência política, pois precisavam de imunidade parlamentar. Eu nunca precisei de imunidade parlamentar, pois sou ficha limpa,” afirmou.

Governo Federal
Após sua apresentação, Ana Amélia acompanhada da presidente da Acil, Aline Eggers Bagatini, respondeu às perguntas dos participantes.

Questionada sobre possíveis convites para assumir um cargo em Brasília no governo federal, Ana Amélia afirmou que independentemente do que aconteça, não abandonará a política. “Um ministro da justiça falava: ‘O futuro a Deus pertence’. Falar sobre conjeturas é muito complicado. A única coisa que posso afirmar a vocês é que, onde eu estiver, estarei trabalhando com mesma intensidade que atuo no Senado para ajudar o Rio Grande do Sul e o Brasil. Não vou abandonar a política.”

Realização
As RA de 2018 da Acil tiveram o apoio de Bebidas Fruki, BRDE, Dalva Pohren Serviços Contábeis, Excellence Garçons, Invictos Ar Condicionados e Refrigeração, Lyall Construtora e Incorporadora, MSommer, Olicenter, Planus Arquitetura e Sicoob Meridional.

  • Senadora fechou ciclo de reuniões-almoço 2018 da Acil - Priscila Rodrigues
  • Mais de 100 lideranças empresarias e políticas acompanharam palestra - Priscila Rodrigues
  • Presidente Aline e Ana Amélia interagem com o público - Priscila Rodrigues
Assine a newsletter